Eleições 1º Turno

Como as redes sociais influenciaram as eleições 2014.

Preparamos um resumo de tudo que aconteceu nas redes sociais no 1º Turno das Eleições 2014.

As eleições 2014 agitaram as redes sociais. O grande volume de menções aos candidatos, principalmente no Facebook e no Twitter, fez com que alguns amigos e até familiares fossem bloqueados da lista de contatos para que suas opiniões e questionamentos políticos, quando não compartilhados, não fossem vistos na timeline.

A tecnologia está presente na vida dos cidadãos e essa eleição parece ter se firmado para que as mídias sociais fossem exploradas como um ambiente para debates e campanhas eleitorais. Fato que fez com que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) reconsiderasse o entendimento em relação à campanha eleitoral nas redes sociais. Diferentemente das eleições de 2010, o órgão  concluiu que as mensagens publicadas em microblogs são convesas já aceitas por quem publica, compartilha ou comenta as postagens. Vale ressaltar também que as redes sociais se tornaram um canal para estender o tempo destinado às campanhas na TV e no rádio

Os candidatos e as redes sociais

O Brasil já ultrapassou a marca dos 100 milhões de usuários nas redes sociais. Dessa forma, os candidatos à Presidência da República viram aí mais local para divulgarem suas propostas. Com isso, a comunicação estratégica de Dilma Rousseff (PT) levou em conta o ambiente virtual, fazendo com que ela se reconectasse ao Twitter (o qual tinha abandonado após  ser eleita em 2010) e abrisse uma conta no Instagram para falar principalmente com o público jovem. Além disso, foi criada a sessão “Fale com a Presidenta”, cuja equipe ficou responsável por responder, em nome de Dilma, às questões publicadas nesse espaço. Entretanto, em uma das ocasiões ela própria estava conduzindo a conversa, sendo que até publicou uma foto à pedido de um internauta para comprovar que era ela.

Marina Silva (PSB) também estava conectada. Segundo especialistas, a Internet foi a responsável pela maior parte da captação de seus votos para o 1º turno das eleições 2014, com destaque para a propagação de causas ligadas à sustentabilidade. Estima-se que sua campanha nas redes sociais atingiu mais de 12 milhões de internautas. Para garantir a eficácia da campanha, a candidata contou com um time que analisava o ambiente virtual constantemente e, assim, tinha ferramentas suficientes para discutir quais eram as melhores estratégias. Os públicos também foram bem definidos: no Facebook o foco eram as mulheres e o mais intelectuais. Já no Twitter o alvo eram os formadores de opinião.

Aécio Neves (PSDB) também apostou nas redes sociais para fortalecer sua campanha.  O candidato à Presidência inovou ao usar o Whatsapp, um aplicativo para troca de mensagens, para divulgar um vídeo, no qual ressalta a mudança. Dentre as ações destinadas às mídias sociais, sua equipe focou em publicar fotos e frases para consolidar a imagem do candidato e divulgar propostas de governo.

Facebook e os Memes

Para se ter uma ideia, uma campanha mal realizada nas redes sociais pode afundar uma candidatura. Dentre as ferramentas de marketing usadas pelos candidatos está o Facebook. Por conta do seu grande alcance entre os brasileiros, é fundamental que os responsáveis pela campanha de marketing político tenham conhecimentos suficientes para usar a rede social. Com isso, a página deve ter características de fan page, as estratégias devem ser montadas para garantir que o candidato tenha presença forte na rede e publicações com conteúdo relevante, além de mensurar constantemente tudo o que foi publicado, tanto pelos profissionais de marketing da campanha quanto pelos internautas.

No 1º turno das eleições 2014, o Facebook foi campeão de audiência entre os internautas que acompanhavam a movimentação acerca dos candidatos à Presidência. De 5 julho a 5 de outubro, a rede social contou com 346 milhões de interações dos eleitores. Desse total, a rede social contabilizou 20 milhões de alusões aos debates que aconteceram no 1º turno.

Outro fato que chamou bastante a atenção foram as piadas, que foram compartilhadas milhares de vezes na rede. Antenados, principalmente aos debates, os internautas parodiaram diversas situações envolvendo os políticos, os chamados memes.

Twitter: movimentação da rede social no 1º turno das eleições 2014

O Twitter ficou bastante movimentado durante o 1º turno das eleições 2014. A plataforma divulgou que mais de 2,6 milhões de usuários da rede publicaram posts relacionados ao assunto, sendo que a maioria das menções foram destinadas para Aécio Neves, em que foram contabilizados 638 mil tweets a favor e contra ele. Dilma ficou na segunda posição, com 486 mil tweets, seguida por Marina Silva com 150 mil.

Luciana Genro (Psol) teve 41 mil tweets, Eduardo Jorge (PV) foi mencionado 36 mil vezes, enquanto que Levy Fidelix (PRTB) teve 14 mil e Pastor Everaldo (PSC) 6 mil.

Apesar de Dilma ter ficado na segunda posição nas menções no microblog, seu partido foi o mais comentado – positivo e negativo – ao receber 113 mil menções. O PSDB foi citado 37 mil vezes e o PMDB teve 9,7 mil menções no Twitter.

O maior pico de mensagens ocorreu às 20h03 do domingo (05/10/2014), momento em que foi confirmada a disputa entre Dilma e Aécio para o 2º turno das eleições.

———————————————————————————————————————-

Cursos Internucleos

Planejamento de comunicação aplicado às mídias sociais

Profa. Carolina Terra
ECA/USP e UNESP

O curso tem como objetivo capacitar o participante a realizar um planejamento de comunicação aplicado às mídias sociais, proporcionando o entendimento necessário sobre as possibilidades de comunicação organizacional diante do ambiente digital, das redes sociais online e da mídia gerada pelo consumidor. O curso aborda também as métricas disponíveis para se avaliar ações de comunicação nas mídias sociais.

Interessou? Clique aqui e saiba mais.

Deixe uma resposta